Banner
Banner

Curso de Anteprojeto, Projeto Básico, Projeto Executivo e Orçamento para Licitação

Resumo
Programa
Palestrantes
Depoimentos
+ Detalhes
Inscreva-se

 

Introdução do Curso de Anteprojeto, Projeto Básico, Projeto Executivo e Orçamento para Licitação

Temos como objetivo oferecer conhecimento jurídico necessário para a compreensão do ambiente privado e da administração pública, dotando o aluno das habilidades necessárias para a melhoria do relacionamento e comunicação com seus interlocutores. Além disso, serão contempladas as leis brasileiras do setor, entre as quais, a Lei 8.666/93, Lei 5.964/66, Resoluções do Confea e demais normas pertinentes à elaboração de projetos iniciando pelo anteprojeto, passando pelos projetos básico, executivo e orçamento para licitação até a contratação de obras e serviços de engenharia.



O que você vai aprender no Curso de Anteprojeto, Projeto Básico, Projeto Executivo e Orçamento para Licitação
 

I.    Conhecer todas as informações e técnicas necessárias para desenvolver projetos e orçamentos de obras e serviços de engenharia 
II.    Elaborar projetos e orçamentos de obras e de engenharia eficientes e com técnicas legais
 
III.    Aprender técnicas de orçamento e julgamento crítico, para verificar, com qualidade, a exequibilidade e aceitabilidade dos preços ofertados, e, quando necessário, alternativas para a correção de impropriedades 
IV.    Obter conhecimento jurídico necessário para compreender o ambiente privado e a administração pública 
V.    Elaborar editais e contratos, empregando corretamente as técnicas legais para cada fase do processo licitatório, visando o controle da administração do contrato e a prevenção de riscos e falhas de execução, atrasos e inadimplementos 
VI.    Manter um bom relacionamento com os públicos, no ambiente negocial



Como você vai se beneficiar no Curso de Anteprojeto, Projeto Básico, Projeto Executivo e Orçamento para Licitação
 

I.    Obterá uma visão sistêmica de todas as etapas  que compõem um projeto de construção civil 
II.    Será um profissional diferenciado no mercado, pois terá as visões  tanto do ponto de vista do tomador do serviço (administrador responsável por qualquer das fases do processo licitatório), como do prestador ou do fornecedor



Público-alvo


Profissionais do sistema Confea/Crea, orçamentistas, servidores, funcionários, integrantes de comissões de licitação, advogados, assessores jurídicos, procuradores, profissionais que atuam nos departamentos de controle e gerenciamento de contratos, agentes envolvidos no planejamento e processamento de documentos técnicos, administrativos e jurídicos para a licitação de obras e serviços de engenharia. 


Carga Horária: 16 horas  


Outras Informações 

Para informações sobre as próximas turmas, datas, locais e investimento, clique aqui.

 

Programa do Curso de Anteprojeto, Projeto Básico, Projeto Executivo e Orçamento para Licitação

I.    Aspectos Gerais

a)    Princípios e legislação que disciplina a matéria (Lei Federal n° 8.666/93, Resoluções e Atos do Sistema Confea/Crea)

b)    que estabelecem os Princípios Jurídicos 
c)    que se entende por obra de engenharia
d)    Qual a diferença entre as diversas formas de obra (construção, reforma, recuperação, fabricação e ampliação) e exemplos ilustrativos 
e)    que diferencia o serviço comum do serviço de engenharia
f)    Quais os caminhos a serem tomados para se possa diferenciar uma obra de um serviço de engenharia 
g)    que se entende por serviços técnicos profissionais especializados e quais são 
h)    Necessidade da disponibilidade de recursos orçamentários e do orçamento detalhado 
i)    Quando uma obra ou serviço de engenharia é de grande vulto. 
j)    A obrigatoriedade da ART
k)    No caso de coautoria e corresponsabilidade quem deve fazer a Anotação de Responsabilidade Técnica – ART


II.    Aspectos técnicos

a)    Aspectos que norteiam o anteprojeto, o projeto básico e o executivo

b)    Conceito de anteprojeto
c)    Caracterização do anteprojeto
d)    que se entende por projeto básico
e)    Qual a importância do projeto básico
f)    Quais os elementos, requisitos, obrigações e conteúdo técnico do projeto básico
g)    que se entende por projeto executivo
h)    Quais os elementos, requisitos e conteúdo do projeto executivo
i)    Validade de apresentação de proposta alternativa no que concerne ao emprego de metodologia construtiva diversa à usual
j)    É obrigatório que o projeto executivo deva ser apresentado sempre sob forma  gráfica
k)    Qual deve ser à precisão do projeto básico ou executivo quando de sua elaboração. Existe limitação de falhas
l)    A Administração pode indicar as marcas dos materiais a serem utilizados na execução da obra
m)    É possível a dispensa do projeto básico
n)    que se entende por “as built” e quando deve ser solicitado 


III.    Aspectos que norteiam o orçamento

a)    O que se entende por: serviço, insumo, encargos sociais (LS), custo, preço, custo direto, custo indireto ou despesas indiretas, lucro operacional, lucro líquido e imposto

b)    O que é CUB e para que serve
c)    Diferença entre orçamento estimativo e orçamento dito real
d)    Importância e características do orçamento
e)    Documentos básicos necessários para a elaboração de um orçamento
f)    O que se entende por prioridade de execução do objeto, na elaboração de um orçamento 


IV.    Elaboração do orçamento, inclusive BDI, Curva ABC e cronogramas

a)    Fluxograma de elaboração de um orçamento

b)    Análise do edital de licitação, modelos e anexos 
c)    Análise dos projetos, especificações, memoriais, etc 
d)    Qual a finalidade da obrigatoriedade do orçamentista fazer uma visita técnica ao local onde será executado a obra ou serviço de engenharia
e)    Características próprias do projeto
f)    Qual a utilidade e como elaborar uma planilha de preços
g)    Quantificação dos insumos que compõem o serviço – composição do serviço
h)    Pesquisa de preços e condições de fornecimento 
i)    Composição dos custos do serviço 
j)    Determinação dos custos indiretos ou despesas indiretas (DI)
k)    Como calcular a taxa do BDI e apresentar sua composição (abertura)
l)    Existem meios de desonerar o BDI 
m)    Valoração da planilha de preços
n)    Existe prescrição legal para a validade jurídica do orçamento (planilha de serviços ou de preços) e da Carta-proposta. Quando o orçamento ou a Carta-proposta não tem valor jurídico 
o)    O que é Curva ABC e qual sua composição 
p)    Quais os critérios a serem utilizados para determinar uma Curva ABC. 
q)    A importância da análise e observações da Curva ABC 
r)    O que se entende por Cronograma físico, financeiro, físico-financeiro e suprimento de materiais
s)    Quem deve elaborar e subscrever os cronogramas
t)    Quais os tipos de “jogo de planilhas” (“desequilíbrio físico-financeiro, desbalanceamento ou maquiagem”)? Como evitá-los?


V.    Análise dos orçamentos na fase do procedimento licitatório

a)    Como proceder à análise do orçamento ofertado

b)    Quais os critérios a serem adotados quanto à aceitabilidade dos preços ofertados
c)    Como proceder com propostas cujo valor é superior ao limite estabelecido no instrumento convocatório
d)    Como se deve proceder na análise de exequibilidade dos preços
e)    Quando um preço é manifestadamente inexequível


Temas polêmicos / Debates


I.    O programa fornece a oportunidade para o debate e esclarecimento das seguintes e outras questões relevantes para o profissional que participa das diversas fases da contratação com a Administração Pública:

a)    Os projetos básico e executivo são sempre obrigatórios nas obras e serviços de engenharia?
b)    Nas obras e serviços de pequeno valor e de execução singela os projetos podem ser dispensados?
c)    Para que serve e como a Administração deve gerir o cronograma físico-financeiro na execução da obra ou do serviço?
d)    Com o objetivo de garantir a qualidade e a solidez, a Administração pode indicar as marcas dos materiais a serem utilizados na execução da obra? 
e)    Quais os elementos de ordem técnica e os requisitos legais que devem ser obedecidos na elaboração dos projetos básico e executivo? Quais os passos a serem observados nesta elaboração?
f)    Qual a normatização prevista no ordenamento jurídico a respeito do orçamento? 
g)    Qual a importância e as características do orçamento de obras e serviços de engenharia? 
h)    Como elaborar o orçamento priorizando ou qualidade ou tempo ou prazo? 
i)    Quais são as diferenças entre insumos, serviços, custo direto, custo indireto, lucro ou benefício, orçamento, orçamento estimativo e noção de custo? 
j)    Quais os passos necessários para a elaboração do orçamento? Como montar uma planilha de preços? 
k)    Como quantificar os insumos que compõem os serviços de uma obra ou de um serviço de engenharia? 
l)    Como determinar o preço unitário de um serviço? 
m)    Como considerar, na composição do serviço, as quebras (perdas) de insumos? 
n)    Existe uma regra para estabelecer a taxa do BDI? De que forma o BDI deve ser incluído no orçamento das obras e serviços de engenharia? 
o)    Qual o percentual máximo a ser admitido para fins de BDI? 
p)    Este percentual pode variar em razão do objeto, local e condições de contratação? 
q)    Como compor a planilha de preços da obra ou serviço de engenharia a partir dos preços unitários? 
r)    Quais os tipos de “jogo de planilha”? 
s)    Como a Administração deve proceder para evitar o “jogo de planilha” na execução de obras e serviços de engenharia? 
t)    É necessária a Anotação de Responsabilidade Técnica – ART da planilha de preços? 
u)    Quem deve subscrever a planilha de preços e a proposta comercial?

  • Eng. Esp. Rolf Dieter Oskar F. Bräunert

    Engenheiro Civil, professor aposentado da Universidade Federal do Paraná, com especialização na Universidade de Stuttgart e Hannover/Alemanha. Atua na área de licitação desde 1974. Presidente de inúmeras Comissões de Licitação; consultor em licitações nacionais e internacionais; consultor contratado pelo PNUD - Nações Unidas, no Serviço Social Autônomo PARANACIDADE, nos Programas PARANÁ URBANO I e PARANÁ URBANO II, financiados com recursos do BID. Consultor contratado pelo PNUD - Programa PARÁ-URBE. Elaboração de inúmeros orçamentos para empresas públicas e privadas. Autor de manuais sobre licitação, autor do Livro "A Prática da Licitação" e autor de artigos na revista "Negócios Públicos".

  • O curso me atualizou, principalmente, em relação à nova orientação e acórdãos da TCN. Isso torna o meu trabalho mais preciso e consistente. Além da sugestão de novas configurações de planilhas para facilitar o meu trabalho, também foram muito importante as orientações de como conduzir as dívidas na comissão de uma licitação.


    Ana Gabriela de Lucena Braga , Engenheira Civil
  • O curso é muito bom; e deveria ser repetido inúmeras vezes. Está de acordo com as necessidades atuais das obras do serviço público. Parabéns ao professor Rolf!


    Edcio Staviasz
  • O pessoal da AEA tem uma ótima recepção e atendimento. O curso foi um sucesso, pois o professor Rolf tem uma vasta experiência e se expressou muito bem, com clareza, durante o curso, o que me proporcionou grande rendimento. Recomendo!


    Bruno Avelar Giacomini , Estudante de Engenharia Civil
  • Curso fundamental para todos os profissionais relacionados à obra e serviços de engenharia público e privado.

    José Roberto Gayoso , Engenheiro Civil


Horários 

Início: 08h30

Coffee break: 10h30 às 10h45
Almoço: 12h30 às 13h30
Coffee break: 16h00 às 16h15
Encerramento: 18h00


Incluso no Valor da Inscrição

•    Material didático

•    Material de apoio
•    Coffee break
•    Certificado de participação 


Dúvidas ou Informações Adicionais

AEA Cursos Ltda – ME

Rua Cenobelino Serra, 243 – Jardim Trussardi – São Paulo – SP – CEP 05518-010
Tel: (11) 2626-1594 Fax: (11) 4508-1911
E-mail: sac@aeacursos.com.br

clientes

parceiros

  

Rua Cenobelino Serra, 243 - Jardim Trussardi - São Paulo/SP - CEP 05518-010

Fone: 55 11 2626-1594 | Fone/Fax: 55 11 4508-1911 ©2011 www.aea.com.br - todos os direitos reservados