ATENDIMENTO (11) 26261594

A requalificação de zonas portuárias e a boa arquitetura: de Barcelona a Porto Alegre

Postado em Design , Postado em Urbanismo ,     Escrito por Fermín Vázquez    em público maio 27, 2015

Em recente conversa com o arquiteto José Luiz Canal, responsável pela impecável execução da obra, foi confirmado algo que se deve esperar no Brasil e em qualquer lugar: o custo de construir bem não é necessariamente superior ao de construir mal.

A requalificação da zona portuária de Barcelona é um bom exemplo desse aspecto da qualidade, e que pode ser útil no momento em que o Brasil realiza grandes obras para a Copa do Mundo de 2014 e a Olimpíada de 2016. Considero bastante positiva a aposta que a cidade espanhola fez na planificada transformação estratégica e de qualidade daquela área da cidade. Todo o conceito de urbanismo que permeou sua transformação nasceu com o trabalho de Cerdá para a primeira expansão (Eixample) da cidade, onde a insistência na qualidade tem sido promovida e apoiada nas últimas décadas pela administração pública e a sociedade.

Tão inspiradora quanto o caso de Barcelona é a experiência do Cais Mauá, de Porto Alegre, no Rio Grande do Sul, que recupera para a cidade uma área pública de muita importância para a sua transformação, e que fará com que o centro entre em contato com o antigo cais e o rio Guaíba. É um caso de clássico de cidade onde o porto era o principal ativo, mas que, com o tempo, ficou sem uso efetivo. Estas zonas se deterioraram em função das mudanças sociais e econômicas que mudaram as matrizes de transportes ao logo dos anos. Porém, a capital gaúcha aproveita inteligentemente a circunstância de ser uma das sedes dos jogos da Copa do Mundo para potencializar a capacidade regeneradora de uma operação urbana.

Antiga zona portuária de Porto Alegre (RS), o Cais Mauá irá passar por uma profunda transformação.  Com investimentos de R$ 450 milhões, em modelo de concessão por 25 anos, um consórcio privado venceu a licitação. A área, com 250 mil m2, e mais de 2,5 km de comprimento, equivalente à frente portuária, tem formato de uma língua, onde o projeto propõe o desenvolvimento de três grandes eixos. O empreendimento prevê a intervenção em três eixos. Num dos extremos, ao norte, na área das docas, serão construídas três torres modernas, com fachadas envidraçadas, de tipologia triangular, que abrigarão escritórios e um hotel. No outro extremo da grande faixa, ao sul, haverá um shopping horizontalizado, que se integrará à área do gasômetro, antiga central elétrica, já convertida em espaço cultural público multiuso, onde predominarão atividades comerciais e de lazer. Na parte central, serão recuperados oito galpões, construídos em 1920, desocupados há 30 anos. A intervenção deverá promover a integração do cais com o centro de Porto Alegre.

A reincorporação ao centro da cidade de um terreno, até então, inacessível para os cidadãos é o objetivo fundamental do projeto. A nossa proposta para a transformação do porto, juntamente com o grande arquiteto e urbanista brasileiro, Jaime Lerner, foi feita para uma concessão, pensando exclusivamente no interesse público, criando um pedaço de cidade para todos e refletindo acima de tudo sobre o futuro. Esperamos que a evidente priorização do interesse público, a profunda reflexão sobre a multiplicidade de atividades, o desenho dos novos edifícios e a proteção do patrimônio façam do Cais de Mauá uma nova referência de revitalização de frente portuária capaz de superar, se não em volume, ao menos em qualidade conceitual e arquitetônica ao não muito distante e bem-sucedido exemplo do Porto Madero, na Argentina.

Impressiona a alguém, como eu, que tenha trabalhado em muitos projetos similares na Espanha, onde com frequência as transformações políticas tornam impossíveis os projetos importantes, o quanto em Porto Alegre todos os órgãos públicos alinharam-se, independentemente da sua orientação político-partidária, para não perder uma oportunidade excepcional. Assim, em poucos meses deverão ser iniciadas obras de um projeto que recorda algumas das transformações de qualidade como o de Barcelona dos últimos anos, a começar pelo essencial apoio popular.

sobre o autor
Fermín Vázquez

Diretor da b720 Arquitectos, que realizou o projeto de revitalização do Casi Mauá (em Porto Alegre), que tem escritórios na Espanha (Barcelona e Madri) e no Brasil.

Termos e Condições
Contrato de Prestação de Serviços pela AEA Educação Continuada Data-Limite 1. As inscrições para os cursos se encerram 7 dias antes do início das aulas. Excepcionalmente, desde que existam vagas disponíveis, serão aceitas inscrições após a data limite. 2. A data-limite não garante a disponibilidade de vagas. Por isso, recomendamos a efetivação da inscrição/pagamento com antecedência.   Política de Descontos da AEA Educação Continuada 3. A AEA Educação Continuada oferece descontos às seguintes categorias, comprovada a condição mediante apresentação do documento competente, conforme o caso: (i) Grupos de profissionais (3 ou mais inscritos): 10% (ii) Estudantes de graduação e professores: 15%, não sendo aplicado à pós-graduação. (iii) Desconto para pacote de cursos: 10% para inscrições em 2(dois) cursos; 15% para inscrições em 3(três) cursos; 20% para inscrições em 4(quatro) ou mais cursos; 4. Os descontos mencionados nos itens (i, ii, iii) não são cumulativos e se aplicam ao pagamento à vista ou parcelados. Em todas as situações, prevalece o maior desconto.   Desconto especial por antecipação de inscrição  5. Inscrições pagas até 45 dias antes da data de início do curso receberão desconto de 10%, cumulativo em relação ao eventual desconto aplicado com base na “Política de Descontos da Academia” (itens 3 e 4 acima).   Reagendamentos 6. Os cursos da AEA Educação Continuada são ministrados a turmas abertas, formadas por adesão dos interessados. Por isso, a realização do curso depende da inscrição de um número mínimo de participantes, Na hipótese de quorum insuficiente, impossibilidade de comparecimento do professor ou outros imprevistos, a AEA Educação Continuada reagendará o curso, para a data mais próxima possível, a fim de preservar o melhor interesse de todos. 7. Excepcionalmente, a AEA Educação Continuada poderá substituir o professor inicialmente contratado por outro profissional, igualmente qualificado, a fim de preservar o melhor interesse de todos e contornar imprevistos ou conflitos de agenda. 8. Em caso de reagendamento, a AEA Educação Continuada avisará todos os inscritos, por e-mail, informando a nova data, razão pela qual o participante deve manter seu cadastro atualizado, informando o e-mail de contato que acesse com mais freqüência. O inscrito será automaticamente realocado na nova turma do curso de interesse, podendo solicitar a transferência da inscrição para outro curso ou a devolução dos valores pagos. Por isso, recomendamos atenção aos comunicados eletrônicos da AEA Educação Continuada no período que antecede a data prevista para a realização do curso. Especialmente em caso de viagens, antes de se deslocar, solicitamos entrar em contato com a AEA Educação Continuada, a fim de confirmar as informações sobre data e local do curso, evitando transtornos.   Cancelamentos 9. As inscrições poderão ser canceladas, com a devolução dos valores pagos, a pedido do interessado até 10 dias corridos antes do início do curso. 10. No caso de inscrições canceladas, a pedido do interessado, com prazo inferior a 10 dias corridos antes do início do curso, não haverá devolução do valor pago, e o inscrito poderá transferir integralmente o seu crédito para outra turma interesse, pagando eventual diferença, se houver. No caso de não comparecimento no curso (no show), ou de comunicação de não comparecimento, e prazo inferior a 2 dias antes da data de início do curso, por qualquer motivo, 80% do valor total da inscrição (e não da parcela paga, em caso de pagamento parcelado) poderá ser transferido para outro curso oferecido pela AEA Educação Continuada, mas não haverá devolução de valores pagos. Os 20% restantes serão retidos como multa tendo em vista os custos antecipadamente despendidos para possibilitar a participação do inscrito. 11. Destacamos que em caso de inobservância dos comunicados da AEA Educação Continuada (especialmente nos termos do item 8 acima) não haverá reembolso de nenhuma espécie de despesas, incluindo, mas não se limitando a, passagem aérea e rodoviária, combustível, pedágio, locação de veículos, hospedagem, alimentação e outras.   Devolução de valores 12. Nas hipóteses de devolução de valores, o depósito do valor será realizado em 10 dias úteis, contados do envio do comprovante de pagamento e dos dados bancários do favorecido (agência, conta bancária, nome do titular da conta e CPF/CNPJ). 13. Será devolvido apenas o valor principal das parcelas pagas, deduzidas as despesas havidas com a operadora do cartão de crédito, emissão ou reemissão de boletos e tarifas bancárias. 14. Caso seja solicitada a reemissão de boletos, o valor das tarifas bancárias serão incluídos no valor do novo título.   Mora e inadimplemento 15. Os boletos emitidos para os cursos realizados, com data de pagamento posterior ao encerramento do evento, e não pagos até a data do seu vencimento, estarão sujeitos a multa de 2%, juros e correção monetária de 5% ao mês, e após 3 (três) dias serão automaticamente encaminhados ao cartório de protesto de título. 16. O aluno que, por qualquer motivo, cancelar a sua inscrição fora do prazo mencionado no item 9 ou deixar de comparecer ao curso, não se sujeita ao acima mencionado, mas permanece adstrito ao sistema de transferência de crédito descrito nos itens 8 e 10. 17. Caso a AEA Educação Continuada tenha que realizar a cobrança de quaisquer valores devidos em decorrência deste Contrato, a mesma poderá cobrar o reembolso de todas as despesas incorridas por conta de cobrança, judicial ou extrajudicial, de tais valores, incluindo custos de postagem de carta de cobrança, cobrança telefônica e despesas cartorárias.

AEA Cursos Ltda. São Paulo,