ATENDIMENTO(11) 26261594

Infraestrutura Verde e Qualidade de Vida

Postado em Sustentabilidade ,     Escrito por Prof. João Manuel Linck Feijó    em público junho 9, 2015

Infraestrutura Verde é uma alternativa ao manejo de água da chuva econômica, sustentável e amigável ao meio ambiente. O principal objetivo é o reaproveitamento da água da chuva, através da infiltração (evapotranspiração), captura e reuso, mantendo e até recuperando a hidrologia natural.

Fundamentalmente, a preservação e restauração da paisagem natural, como florestas, banhados e áreas de inundação, são componentes essenciais da Infraestrutura Verde. Quando estas áreas sensíveis são protegidas, há melhora na qualidade da água da comunidade, o habitat da vida selvagem é mantido e, além disso, geram-se oportunidades de recreação.

Em uma escala menor, as práticas de Infraestrutura Verde incluem os jardins de chuva, ecopavimento, ecotelhado, reservatórios de infiltração, árvores com área de desenvolvimento de raízes, jardins verticais, brise vegetal e cisternas de captação de água da chuva para posterior uso em irrigação ou no vaso sanitário. As técnicas de Infraestrutura Verde devem ser consideradas em condomínios e loteamentos novos, principalmente nos projetados para o programa “Minha Casa Minha Vida”, em função do grande impacto ambiental que estão gerando nas bacias pluviais onde estão inseridas. Está na hora de evitar o uso de tecnologia ultrapassada e geradora de problemas urbanos e dar um passo rumo à sustentabilidade.

A Infraestrutura Verde beneficia o meio ambiente, pois é uma sinergia entre fatores econômicos, ambientais, saúde e sociais que caminham de braços dados. Os benefícios da Infraestrutura Verde são mais evidentes em áreas urbanas e suburbanas, onde o espaço verde é limitado e o dano ambiental mais expressivo. Os benefícios da Infraestrutura Verde incluem a redução e retenção dos volumes de água da chuva e a diminuição do pico de escoamento, utilizando a capacidade de absorção do solo e dos vegetais. Por aumentar a área verde, essas técnicas aumentam as taxas de infiltração e evapotranspiração reduzindo, substancialmente, ou completamente, a quantidade de água a ser conduzida para lagos, rios ou córregos.

Além disso, aumenta a recarga de aqüíferos, já que a capacidade de infiltração é importante para a recarga do lençol freático, responsável por 40 % da água que mantém o nível dos córregos e rios. A técnica de Infraestrutura Verde infiltra o excedente hídrico, evitando o transporte de poluentes através de tubos e galerias. Uma vez infiltrada no solo, as plantas e microbiota se encarregam, naturalmente, de quebrar as moléculas dos poluentes presentes na água ou superfícies.

Também melhora a qualidade do ar, incorporando vegetação no centro urbano e melhorando a qualidade do ar por filtração do material particulado. Isso, porque as árvores e vegetais absorvem certos poluentes por contato ou por absorção foliar. Além disso, a vegetação ajuda a resfriar o ambiente, evitando a formação do ozônio no nível do chão

A Infraestrutura Verde, ao contrário de outros sistemas, se utiliza de plantas que são responsáveis pela retirada do dióxido de carbono da atmosfera pela fotossíntese, incrementando o seqüestro de carbono na atmosfera. Contribui, ainda, para a redução de enchentes, pois utilizando a capacidade natural de retenção e infiltração das plantas e do solo limita a possibilidade de acúmulo de água, por retardar o pico de descarga de tempestades.

Os pavimentos convencionais e a massa de concreto absorvem e retêm o calor. A retirada da vegetação diminui sua capacidade de resfriamento, causando o efeito “ilha de calor” em ambientes urbanos. Assim, de acordo com as técnicas de Infraestrutura Verde, a vegetação diminui a demanda por energia de climatização, racionalizando o uso de ar condicionado e geradores elétricos.

Mas, um dos maiores benefícios da Infraestrutura é que promove aumento das áreas verdes, fundamentais para o bem estar das pessoas, além de promover a melhoria da saúde de todos. Um crescente número de estudos no mundo todo vem relacionando o espaço verde e vegetação com a saúde humana, e as áreas inóspitas com o crime e a violência. E, por fim, as áreas verdes aumentam o valor dos imóveis, pois, é notório que propriedades próximas a elas alcançam valores até 30% mais altos, quando comparados a ruas não arborizadas.

sobre o autor
Prof. João Manuel Linck Feijó
Engenheiro Agrônomo, empresário, empreendedor, presidente da Associação Telhado Verde Brasil, criador de produtos ligados à construção sustentável vencedores do Premio Planeta Casa .Palestrante no Congresso internacional de Telhados Verdes em Toronto, Canadá, e pelo Greenbuilding Concil, em São Paulo.