fbpx

O comissionamento na operação predial

Postado em Facilities ,     Escrito por Prof. Esp. Alexandre Marcelo Fontes Lara    em público agosto 10, 2020


Embora muitos ainda atribuam o comissionamento em sistemas prediais como uma das etapas de obra e instalação (geralmente vinculando-se a entrega técnica dos sistemas), o comissionamento também possui um papel importantíssimo no dia a dia da operação.

Lei de Sitter: Custo relativo para a reparação de determinado problema, dentro do ciclo de vida de um ativo ou edificação

Existem, na realidade, três outras derivações da palavra comissionamento que se aplicam em nossas operações, ou melhor, na fase de ocupação e uso de edificações e instalações:

Recomissionamento: Define-se como recomissionamento de uma instalação ou sistema a repetição de um conjunto de procedimentos já realizados anteriormente, com o objetivo de se avaliar a qualidade deste sistema ou instalação naquele exato momento de sua aplicação.

Os seus resultados, comparados aos resultados anteriores, possibilitarão ao gestor compreender a perda de desempenho, identificando os pontos a serem corrigidos ou atacados.

Este “controle de qualidade” durante a fase de ocupação e uso de edificações também permitirá com que se assegure a “manutenção” do melhor desempenho possível para as nossas instalações, o que torna o RECOMISSIONAMENTO uma importante “ferramenta de qualidade” para as nossas operações. De uma forma prática, o processo de recomissionamento poderá assegurar o bom desempenho em sistemas de potência, automação, hidráulica, ventilação, exaustão e ar condicionado, entre outros.

Comissionamento contínuo: Com uma maior aplicação em setores da indústria, onde se verifica pela existência de processos ou linhas de produção contínuas, cujas eventuais falhas ou desvios incorrem em perdas significativas, o comissionamento contínuo considera a aplicação dos conceitos de avaliação de desempenho e garantia da qualidade para sistemas em plena operação, acompanhando parâmetros / resultados de forma continuada e durante um período de tempo. Este monitoramento contínuo permitirá com que desvios sejam prontamente identificados, já durante a própria operação, permitindo com que ajustes rápidos e pontuais sejam efetuados. Como exemplo, têm-se a análise de qualidade em energia e o comportamento em sistemas de potência, assim como a análise contínua em sistemas de produção de frio, como em instalações centrais de água gelada ou refrigeração industrial.

Retrocomissionamento: Estritamente dedicado a edificações existentes, o processo de Retrocomissionamento considera a condução de análises que envolvem não somente o projeto e instalação dos sistemas, como também a sua forma de operar e a sua correspondência ao novo momento, ou nova realidade da edificação, que pode ter sofrido ajustes ou adequações para atender as necessidades específicas de seus usuários. Em outras palavras, o processo de Retrocomissionamento permitirá a análise de qualidade para o sistema na situação em que se encontra atualmente, indicando como resultado a eventual necessidade de ajustes em projetos, instalações e modos de operação, para que se possa atingir o melhor nível de desempenho possível. De uma forma prática, este processo ajudará na reestruturação de sistemas e da própria forma como opera-los, em edifícios que possuam como característica a perda de desempenho ao longo de sua vida útil percorrida.

Importante também relembrar que o processo de comissionamento deverá sempre seguir protocolos para a sua execução, além de contar necessariamente com o envolvimento de profissionais qualificados nas diferentes modalidades de engenharia.

Conheça o curso de Comissionamento em Edificações – 8h Online (ao vivo pela internet)

O curso Comissionamento de Edificações abordará o conceito de um processo técnico de comissionamento, seus pré-requisitos e cuidados, suas etapas e formas de planejamento e condução, independentemente do sistema predial objeto de um escopo.

O que você vai aprender

Noções básicas e fundamentais para se assegurar o controle de qualidade em novas instalações ou retrofits parciais, através do uso do conceito de comissionamento técnico como importante ferramenta. Importante também destacar que o processo de comissionamento também auxiliará operações em curso.

Como irá se beneficiar

O participante desenvolverá competências a respeito de análise crítica em projetos e documentação técnica, assim como habilidades no que tange ao planejamento e controle de atividades, ajudando-o não só em obras e instalações, como também na atividade de operação, manutenção e facility management.

Clique aqui para saber mais e inscrever-se!

sobre o autor
Prof. Esp. Alexandre Marcelo Fontes Lara
Engenheiro Mecânico graduado pela FEI, pós-Graduado em Refrigeração e Ar Condicionado e em Avaliações e Perícias de Engenharia. Possui 32 anos de experiência profissional na área de Operação & Manutenção, com atuação na implantação, coordenação, auditoria e consultoria em projetos de O&M predial e industrial, além de sua atuação como Autoridade de Comissionamento em alguns dos principais projetos de infraestrutura predial e industrial no Brasil. Soma-se também em sua trajetória a participação como colaborador em comitês técnicos e/ou associado em instituições brasileiras e norte americanas, como a ASHRAE - American Society of Heating, Refrigerating and Air-Conditioning Engineers, BCxA – Building Commissioning Association, ANPRAC - Associação Nacional de Profissionais de Refrigeração e Ar Condicionado e ABRAFAC – Associação Brasileira de Facilities, onde ocupou a posição de Diretor durante o biênio 2017-2018. Autor de diversos artigos sobre comissionamento, auditorias de qualidade na prestação de serviços, manutenção e operação em instalações prediais e industriais para as revistas INFRA, TECHNE, PINI / Construção Mercado, ABEMPI e Climatização & Refrigeração. Ministrou palestras, seminários e cursos através de entidades de nosso setor, tais como ABRAFAC, ANPRAC, FUPAM–USP, IBAPE-SP, IBAPE-PR, SENAI-SP, entre outras. É docente da cadeira de “Comissionamento, Medição & Verificação” no MBA – Construções Sustentáveis – UNIP, docente da cadeira de Operação e Manutenção no curso de pós-graduação em Avaliações e Perícias de Engenharia – MACKENZIE, docente da cadeira “Gerenciamento de Operações” no curso de especialização Gerenciamento de Ativos Imobiliários Corporativos – FDTE (USP) / CORENET e docente nos cursos de “Arquitetura Hospitalar” e “Engenharia Hospitalar” na UNIVERSIDADE EINSTEIN. É Diretor Técnico da A&F Partners Consulting Engenharia Ltda.