fbpx

O que é comissionamento em edificações e qual a sua importância?

Postado em Facilities ,     Escrito por Prof. Esp. Alexandre Marcelo Fontes Lara    em público junho 1, 2020


Apesar de nossa língua portuguesa nos causar alguma confusão ao pesquisarmos pelo termo “comissionamento” em uma ferramenta de busca, trazendo-nos algumas definições a respeito de ganhos por pessoas comissionadas por serviços ou atuações, pratica-se há várias décadas no Brasil a atividade de comissionamento técnico em equipamentos, sistemas e instalações.

Esta definição mais técnica de Comissionamento se refere, na realidade, a uma ferramenta, ou melhor, a um processo de controle de qualidade sobre um determinado ativo ou sistema, desde a sua especificação e projeto, até a entrega final dos documentos gerados e resultantes de uma instalação.

Traduzindo para uma forma mais clara, o Comissionamento em um sistema ou instalação tem por objetivo assegurar com que o item comissionado desempenhe tecnicamente a sua função, em atendimento à todos os requisitos de projeto e expectativas do responsável e proprietário. Importante ressaltar que para se atingir o resultado esperado para um ativo ou sistema, deve-se implementar este “controle de qualidade” em todas as etapas do processo, ou melhor:
  • Etapa de concepção e projeto
  • Etapa de aquisição do equipamento ou sistema
  • Etapa de instalação
  • Etapa de entrega técnica
  • Etapa de documentação final e treinamento da futura equipe responsável por sua operação e manutenção

É exatamente isto!

Precisamos compreender que o comissionamento não se atém especificamente aos testes finais em uma instalação, pois todo o processo poderá ter carregado consigo falhas originadas ainda nas etapas de projetos (básico ou executivo / liberado para a obra), o que impedirá, por exemplo, o pleno atendimento às condições de desempenho previstas.

Por esta razão, deve-se contratar o processo de comissionamento ainda na fase de concepção de uma obra ou instalação, trazendo-se para o “time de projeto” um especialista ou uma autoridade em comissionamento, que conduzirá todo o processo até o seu encerramento.

Comissionamento em Edificações

De uma forma bastante simplificada, o controle de qualidade ocorrerá conforme o fluxograma acima, dividida em 3 (três) etapas principais:
  • Qualificação de Projetos – Etapa durante a qual se objetiva a mitigação de falhas ou erros ainda na concepção e detalhamento das especificações.
  • Qualificação das Instalações – Etapa de acompanhamento do processo de chegada na obra de equipamentos e de sua instalação, primando pela conformidade entre o projeto e o efetivamente instalado no campo.
  • Qualificação da Operação – Etapa distribuída ao longo de todo o processo de instalação, envolvendo a condução de testes previamente planejados (testes funcionais, integrados e de performance ou desempenho).

Soma-se ainda as etapas acima a análise final da documentação técnica produzida e o eventual acompanhamento durante o processo de passagem de bastão entre as equipes da instaladora / construtora e futuros responsáveis pela operação e manutenção.

Trata-se, portanto, de um processo que envolverá um grande planejamento, assim como o envolvimento de vários outros personagens, como proprietários, projetistas, construtora, instaladoras, gerenciadora e equipes que receberão as obras (para a operação). Denomina-se este grupo como “time de projeto ou comissionamento”, sendo que a responsabilidade por assegurar o cumprimento de protocolos e etapas será do responsável contratado para a gestão deste processo, denominado pelo mercado como Agente ou Autoridade de Comissionamento.

Importante também destacar que estamos nos referindo aqui a especialistas habilitados, cada um em sua modalidade, ou seja, a profissionais de diferentes modalidades de engenharia que atuarão segundo as suas respectivas expertises.

Embora ainda muito identificado com obras, construções e recebimentos de obras, o processo de comissionamento também se aplica a outras fases da vida útil de uma edificação ou de um ativo, assegurando com que se mantenha ou se recupere o nível de desempenho necessário ao sistema comissionado.

Como resultado deste processo, obtêm-se, por exemplo:
  • Conforto aos usuários de uma edificação
  • Maior disponibilidade de um ativo
  • Segurança efetiva da edificação e seus ocupantes
  • Maior eficiência no processo
  • Maior eficiência energética
  • Menores custos operacionais, entre outros benefícios

Infelizmente, muitas literaturas mais técnicas e detalhadas só podem ser encontradas na língua inglesa, elaboradas por instituições norte-americanas ou europeias, como a ASHRAE, NIBS, entre outras.

No Brasil, alguns mercados já costumam se utilizar de procedimentos por eles desenvolvidos e aprimorados, respeitando normas técnicas nacionais e internacionais, como por exemplo o setor de petróleo, o setor elétrico e alguns setores da indústria.

Enfim, entendemos como sendo de extrema importância que todos os envolvidos em uma operação e manutenção conheçam tais benefícios, assim como os tipos de comissionamento, formas de contratação e acompanhamento, etc.

Conheça o curso de Comissionamento em Edificações – 8h Online (ao vivo pela internet)

O curso Comissionamento de Edificações abordará o conceito de um processo técnico de comissionamento, seus pré-requisitos e cuidados, suas etapas e formas de planejamento e condução, independentemente do sistema predial objeto de um escopo.

O que você vai aprender

Noções básicas e fundamentais para se assegurar o controle de qualidade em novas instalações ou retrofits parciais, através do uso do conceito de comissionamento técnico como importante ferramenta. Importante também destacar que o processo de comissionamento também auxiliará operações em curso.

Como irá se beneficiar

O participante desenvolverá competências a respeito de análise crítica em projetos e documentação técnica, assim como habilidades no que tange ao planejamento e controle de atividades, ajudando-o não só em obras e instalações, como também na atividade de operação, manutenção e facility management.

Clique aqui para saber mais e inscrever-se!

sobre o autor
Prof. Esp. Alexandre Marcelo Fontes Lara
Engenheiro Mecânico graduado pela FEI, pós-Graduado em Refrigeração e Ar Condicionado e em Avaliações e Perícias de Engenharia. Possui 32 anos de experiência profissional na área de Operação & Manutenção, com atuação na implantação, coordenação, auditoria e consultoria em projetos de O&M predial e industrial, além de sua atuação como Autoridade de Comissionamento em alguns dos principais projetos de infraestrutura predial e industrial no Brasil. Soma-se também em sua trajetória a participação como colaborador em comitês técnicos e/ou associado em instituições brasileiras e norte americanas, como a ASHRAE - American Society of Heating, Refrigerating and Air-Conditioning Engineers, BCxA – Building Commissioning Association, ANPRAC - Associação Nacional de Profissionais de Refrigeração e Ar Condicionado e ABRAFAC – Associação Brasileira de Facilities, onde ocupou a posição de Diretor durante o biênio 2017-2018. Autor de diversos artigos sobre comissionamento, auditorias de qualidade na prestação de serviços, manutenção e operação em instalações prediais e industriais para as revistas INFRA, TECHNE, PINI / Construção Mercado, ABEMPI e Climatização & Refrigeração. Ministrou palestras, seminários e cursos através de entidades de nosso setor, tais como ABRAFAC, ANPRAC, FUPAM–USP, IBAPE-SP, IBAPE-PR, SENAI-SP, entre outras. É docente da cadeira de “Comissionamento, Medição & Verificação” no MBA – Construções Sustentáveis – UNIP, docente da cadeira de Operação e Manutenção no curso de pós-graduação em Avaliações e Perícias de Engenharia – MACKENZIE, docente da cadeira “Gerenciamento de Operações” no curso de especialização Gerenciamento de Ativos Imobiliários Corporativos – FDTE (USP) / CORENET e docente nos cursos de “Arquitetura Hospitalar” e “Engenharia Hospitalar” na UNIVERSIDADE EINSTEIN. É Diretor Técnico da A&F Partners Consulting Engenharia Ltda.