ATENDIMENTO(11) 26261594

Patologias nas Construções

Postado em Estruturas ,     Escrito por Prof. Esp. José Eduardo Granato    em público maio 27, 2015

As obras de construção civil devem ser sempre construídas de acordo com as utilizações e exigências para que foram projetadas. O suporte das cargas impostas no projeto deve ser sempre avaliado, pois, ao longo do tempo, a construção pode apresentar sérios problemas de manutenção.

Inspecionar, avaliar e diagnosticar as patologias das construções são tarefas que devem ser realizadas sistematicamente e periodicamente, de modo que os resultados e as ações de manutenções cumpram efetivamente a reabilitação da construção, sempre que for necessário.

Dentre os diferentes parâmetros que contribuem para a degradação das construções estão inúmeros fatores, tais como variações de temperatura, reações químicas, vibrações e erosão. Porém, um dos mais sérios problemas enfrentados nas construções é o fenômeno da corrosão das armaduras do concreto armado, que se constitui num importantíssimo fenômeno patológico, contribuindo sobremaneira para a degradação da construção.

Os sintomas da corrosão e suas causas não são habitualmente conhecidos. No entanto, esse importante campo de conhecimento é que aponta para a adoção de métodos de correção e procedimentos bem definidos, de modo a que as intervenções sejam eficazes.

Devido à natureza complexa dos efeitos ambientais sobre as estruturas e sua consequente resposta, a verdadeira melhora de desempenho das edificações não pode ser alcançada somente apenas pela melhoria das características dos materiais utilizados, mas também por meio da técnica de execução, da melhoria dos projetos arquitetônicos e estruturais, dos procedimentos de fiscalização e manutenção, incluindo a manutenção preventiva.

Na pesquisa abaixo, podem-se exemplificar as principais causas dos problemas patológicos em estruturas de concreto. A somatória, em alguns casos, não implica em 100%, pelo fato de alguns autores considerarem mais de uma causa resultante de um problema.

Em outras pesquisas realizadas em diversos países, o projeto de uma edificação é responsável pela maior parte das falhas patológicas de construção, como demonstra a tabela abaixo:

Também verificamos que a natureza dos problemas está na sua maior parte relacionada com a presença de umidade, como explícito abaixo:

Dessa maneira, todos os profissionais relacionados com a execução e utilização das edificações devem ter um conhecimento mínimo dos processos mais importantes de degradação, assim como dos elementos causadores. Em geral, o que se busca é a obtenção da durabilidade da edificação, sendo necessário tomar decisões corretas no momento adequado para evitar as patologias.

A presença de umidade é o principal fator que causa os diferentes tipos de degradação, com exceção do dano mecânico. A infiltração da água através do concreto vem do tipo, tamanho e distribuição dos poros e das fissuras (micro e macrofissuras). Assim, o controle da penetração de água na construção é fator importantíssimo a ser avaliado.

O tipo e velocidade dos processos de degradação do concreto (físicos, químicos e biológicos) e das armaduras ativas e passivas (corrosão) determinam a resistência e rigidez dos materiais. As condições superficiais da estrutura também influem nestes e em outros fatores como segurança, durabilidade, funcionalidade e no aspecto geral da estrutura.

O que se busca realmente é em assegurar um comportamento satisfatório durante um período de vida útil suficientemente longo.

No gráfico abaixo, pode-se verificar a manutenção ao longo do tempo delimitando a vida útil da estrutura, a partir de da boa qualidade de uma construção e das reparações que devem ser realizadas.

sobre o autor
Prof. Esp. José Eduardo Granato
Engenheiro Civil, Especialista em Sistemas de Impermeabilização, Patologia de Estruturas e das Edificações, Tratamento de Concreto, Revestimentos, Pinturas, Isolação Térmica, Recuperação Estrutural, Reforço Estrutural com Fibras de Carbono, Pisos Industriais e Aditivos para Concreto. Com mais de 40 anos de experiência na área participou de diversos treinamentos e aperfeiçoamentos técnicos no Brasil e no Exterior. Hoje, exerce a função de Gerente Técnico e Comercial da Unidade Químicos de uma grande indústria - Aditivos para Concreto, Pisos Industriais, Recuperação Estrutural e Reforço Estrutural com Fibras de Carbono. É Membro do Comitê de Impermeabilização e Isolação Térmica da ABNT. Coordenador dos cursos de "Patologias da Construção" e "Impermeabilização" da AEA Educação Continuada. Autor de apostilas e materiais técnicos, com ampla experiência didática, tendo ministrado mais de 500 palestras e cursos sobre impermeabilização, tratamento de concreto, isolação térmica e patologias das construções, em diversas entidades de engenharia. Apresentou mais de 20 trabalhos técnicos em Congressos no Brasil e no Exterior, nas atividades de impermeabilização e patologia das construções.