ATENDIMENTO(11) 26261594

ProAcústica Pretende Reduzir a Poluição Sonora nos Centros Urbanos

Postado em Sustentabilidade ,     em público junho 9, 2015

A nova entidade é formada por empresas fabricantes de produtos acústicos, escritórios de arquitetura, projetos e consultoria em acústica, empresas de instalação e distribuição, laboratórios e construtoras.

Além de promover o mercado e disseminar o conceito de conforto acústico, a entidade pretende colaborar com a criação, revisão e desenvolvimento de normas técnicas, de normas para materiais e aplicações acústicas com padrões mínimos de qualidade; e demonstrar para a sociedade a importância das soluções acústicas para a saúde e qualidade de vida.

A nova entidade nasce da constatação de que o mercado brasileiro de acústica é refém da desinformação e do desconhecimento em relação à sua importância, soluções e benefícios. “Nós sentimos a necessidade de contar com uma entidade para fortalecer o mundo da acústica”, explica o engenheiro Davi Akkerman, proprietário da Harmonia Acústica, e presidente da ProAcústica. Para ele, o momento é oportuno, pois o setor deverá apresentar um crescimento significativo nos próximos anos, em razão da própria evolução da indústria da construção civil do país.

Com a globalização, este tema emergiu naturalmente. A criação da ProAcústica, interessada em promover a boa qualidade acústica das construções e do meio ambiente, privilegia a qualidade de vida e, principalmente, a saúde da população. Acredito que haverá uma mobilização maior da sociedade em defesa de um meio ambiente menos ruidoso”, explica.

As doenças, comprovadamente, se instalam a partir do excesso de decibéis nas cidades, onde as fontes de ruído são cada vez mais numerosas e provocam danos à saúde da população. “Esse é um dos maiores alertas que precisam ser divulgados, pois o excesso de ruído que atinge as populações urbanas não fazem mal apenas à audição, mas resultam em graves distúrbios do sono, stress e sintomas cardiovasculares. já comprovados pela OMS”, destaca Akkerman.

Segundo ele, com a chegada da Norma de Desempenho (NBR 15575) e das certificações de sustentabilidade vem ocorrendo uma guinada no mercado imobiliário, que agora demonstra mais preocupação com o tema, uma vez que o desempenho acústico finalmente passa a ser um diferencial a ser cumprido.

No entanto, diz Akkerman, ainda há focos de resistência de contra a Norma de Desempenho, principalmente no tópico de acústica, pois acreditam que vai dificultar as vendas e encarecer os apartamentos. “Mas diante dos países vizinhos dos europeus, os nossos índices de desempenho acústico que entrarão em vigor, são até uma piada de tão generosos”, pondera o presidente da ProAcústica.

O modelo de gestão da Proacústica foi inspirado em associações profissionais da Espanha, Grã-Bretanha e Austrália e vai dar prioridade ao estabelecimento de parcerias setoriais com outras entidades. Segundo Akkerman, serão criados diversos grupos de trabalho para temas de interesse do setor com a coordenação da arquiteta Débora Barreto, da Audium Acústica, de Salvador. “Mas esses grupos só vão existir se houver a participação de todos os associados”, destaca.