ESTE CURSO DE GESTÃO DE REFORMAS EM EDIFICAÇÕES ESTÁ ATUALIZADO CONFORME A NOVA NBR 16.280:2015 

O que você vai aprender

O presente curso foi desenvolvido, segundo os princípios de preservação do desempenho e da segurança da edificação, de seus usuários e do entorno sob sua influência.

Para tanto, serão apresentadas noções sobre melhoria contínua da qualidade, sobre legislação e normas técnicas, em especial os tópicos mais relevantes da norma técnica NBR 16.280:2015.

Também serão abordados pormenores sobre as etapas de relacionamento com o CLIENTE, desde as entrevistas preliminares até a assinatura do contrato.

Na sequência, será ensinado o método de organização do plano de reforma através de protocolo de procedimentos, tabelas, planilhas e detalhes de engenharia de instalações (projetos executivos e supervisão técnica).

Complementa o conteúdo proposto, o estudo das questões relativas à administração, supervisão e segurança da mão de obra direta, assim como, da necessidade de serem efetuados registros e arquivos dos documentos legais e técnicos pertinentes ao processo.

Como você irá se beneficiar

Aprender, conhecer e/ou aperfeiçoar a maneira de elaborar, implantar e controlar PLANOS DE REFORMA, tecnicamente estruturados em três fases distintas: ANTES, DURANTE e APÓS a finalização da obra de reforma.

Público-alvo

Engenheiros, Arquitetos, Designers e Arquitetos de Interiores, estudantes e profissionais da decoração de interiores, sejam eles da área de projeto, execução de obra, fornecedores ou responsáveis pela gestão de condomínios.

Carga Horária
20 horas
Primeiro Dia
I – INTRODUÇÃO
  • As Normas Técnicas e a ABNT;
  • Os conceitos de Desempenho, Retrofit e As Built;
  • Questões legais- O Designer, o profissional habilitado, o síndico de condomínio e os demais responsáveis pelos envolvimentos nas atividades de reforma;
  • Aspectos sobre a melhoria contínua da qualidade (KAIZEN) aplicada à atividade de reforma;
  • Tópicos conceituais mais relevantes da norma técnica NBR 16.280:2015.
II – ENTREVISTAS PRELIMINARES COM O CLIENTE

  • O cliente sabe o que quer? O Equilíbrio entre o desejo e a necessidade;
  • Reunião de trabalho com o cliente (Brieffing). Qual o montante do investimento?
  • Da aprovação do cliente ao diagnóstico, análise e levantamento do local da REFORMA;
  • Como identificar a necessidade de assessorias técnicas de engenharia?
  • Estimativas de valores- Orçamentos Preliminares;
  • Da apresentação e obtenção da aprovação da proposta pelo cliente. Celebração do contrato.

 

III – ELABORAÇÃO E COMPOSIÇÃO DO PLANO DE REFORMA

  • Solicitação de documentação técnica e legal. Estudo dos projetos legais x escopo dos serviços contratados;
  • Identificação das necessidades e seleção de assessoria técnica de engenharia;
  • A Elaboração do projeto de Design de Interiores com Layout (mobiliário, instalações e equipamentos) e a lista das necessidades de suporte técnico de engenharia;
  • Organização do Plano de Reforma, formado pelo projeto de Design de Interiores e, quando for o caso, pelos projetos complementares definidos no item V, e mais:

– Memorial descritivo da reforma e cronograma da obra;

– Lista com identificações de funcionários com programação dos dias e horários de trabalho;

– Metodologia para manipulação de produtos tóxicos / inflamáveis e da limitação dos níveis de ruído;

– Metodologia de estocagem de materiais e de descarte de resíduos;

– Informação dos dados do(s) Responsável (viés) Técnico (s) e de sua (s) respectiva (s) ART (s)

  • Registrada (s) no CREA;
  • Análise do modelo de fluxograma de gestão da obra de reforma;
  • Como formalizar a entrega do Plano de Reforma ao responsável legal pelo imóvel.

 

IV-RESUMO E REVISÃO DO PRIMEIRO DIA

  • Formação de grupo de trabalho para avaliação de casos dos participantes.
  • Troca de experiências entre os participantes.
  • Apresentação de “Casos exemplares” de sucesso e/ou de fracasso.
  • Esclarecimentos das dúvidas referentes ao conteúdo do primeiro dia.

 

Segundo Dia

V – ASPECTOS TÉCNICOS SOBRE OS PROJETOS COMPLEMENTARES

  • Das alterações prediais, tais como, substituição de esquadrias, demolição / construção de paredes, remoção/recolocação de pisos e revestimentos cerâmicos, etc.
  • Das instalações elétricas de baixa tensão, das instalações hidro sanitárias e de gás;
  • Das instalações de CATV/SOM/telefonia/rede de dados;
  • Da Luminotécnica conforme NBR ISSO 8995-1 e da Domótica;
  • Das instalações de condicionadores de ar tipo SPLIT SYSTEM com condensador remoto;
  • Dos memoriais descritivos com especificações técnicas de materiais e serviços;
  • Da necessidade de realizar ensaios e/ou testes não destrutivos nas instalações reformadas;

 

VI – A REFORMA – DURANTE A EXECUÇÃO DA OBRA

  • Da seleção dos prestadores de serviço e dos fornecedores;
  • Da elaboração do orçamento definitivo para a obra de reforma;
  • Cotações de materiais e serviços. Compras e prazos de entrega;
  • Cronograma físico-financeiro – programa de pagamentos,
  • Programação e início da execução da obra – A coordenação dos diversos eventos;
  • Acompanhamento e supervisão técnica da Obra – Constatações e Providências;
  • Reuniões com assessores técnicos de engenharia – Análise de interferências e de soluções;
  • Testes gerais de funcionamento, finalizações e acabamentos;
  • Aspectos sobre a necessidade de efetuar registros dos serviços realizados na obra.

 

VII – A REFORMA – CONCLUSÃO E ENTREGA DA OBRA

  • Metodologia de arquivamento da documentação da obra de reforma, a qual fará parte
  • Integrante do Manual de uso, operação e manutenção do imóvel;
  • Nos termos da NBR 14.037, atualizar o Manual existente, ou, na falta deste, realizar a elaboração da versão atualizada no Manual de uso, operação e manutenção;
  • Formalização da entrega da reforma e de seu respectivo Manual atualizado, ao síndico de condomínio ou ao responsável legal do imóvel, mediante a apresentação de Termo de
  • Encerramento e Garantia, emitido pelo responsável técnico pela execução da reformas.
  • Pesquisa de Avaliação da satisfação do cliente após a entrega e utilização das instalações reformadas.

 

VIII – RESUMO E REVISÃO DO SEGUNDO DIA

  • Formação de grupo de trabalho para avaliação de casos dos participantes.
  • Troca de experiências entre os participantes.
  • Apresentação de “Casos exemplares” de sucesso e/ou de fracasso.
  • Esclarecimentos das dúvidas referentes ao conteúdo do segundo dia.
  • Eng° Carlos F. Basquens

    Engenheiro Civil graduado pela Faculdade de Engenharia da Universidade de Mogi das Cruzes – 1986. Gerenciador e coordenador de viabilidade de empreendimentos com gerenciamento de execução de projetos residenciais e prediais em Angola. Gerenciamento de obras verticais comerciais e residenciais na África do Sul e condomínios residenciais e edifícios comerciais em Angola. Gerenciamento de obras hospitalares. Vasta experiência em obras de prédios comerciais e residenciais, reformas industriais, comerciais e residenciais. Execução de prédios escolares, públicos (PMSP e FDE) e privados - Acervados.

  • Eng° Cássio G. Marques

    Engenheiro de Segurança do Trabalho, graduado em Tecnologia Eletrotécnica pela Universidade Mackenzie é certificado como Inspetor de Conformidade e Ensaio de Instalações elétricas pelo CB-03/ABNT. É membro da CE-03:064.01 – Comissão de estudos de instalações elétricas de baixa tensão do Comitê Brasileiro de Eletricidade- CB-03/ABNT; é associado do IE/SP e da ABEE-SP. Trabalhou no CTA/IAE-Instituto de Atividades Espaciais, na ALUSA Engenharia S/A e no METRÔ-SP/EMTU-É sócio-diretor da CCM Eletricidade e Engenharia desde 1993, e têm atendido empresas com projetos, inspeção de instalações, consultorias de Segurança em Eletricidade (NR-10) e contra Incêndio (NR-23), destacando-se: ATC, BRADESCO Seguros, CDHU, DEICMAR, Editora SARAIVA,

    FAMIGLIA MANCINI Ristorante, FORMO Arquitetura e Design, KRUPP-POLYSIUS, LAUFENINCEPA, MAURICIO DE SOUZA Produções, REINALDO PESTANA Arquitetura, ROCA Sanitários Brasil, TAMBORÉ S/A, TRAMONTINA...

  • Eng° Eduardo J. Fram

    Engenheiro Civil graduado pela Escola de Engenharia de Taubaté em 1974. Experiência profissional na área técnica e administrativa em obras verticais ou horizontais; Em ESTRUTURA CONVENCIONAL, ALVENARIA ESTRUTURAL (armada ou não), PRÉ-MOLDADOS, ESTRUTURA METÁLICA LEVE, terraplenagem, aterros, saneamento básico, diversos tipos de fundações, inclusive reforço, contenção de taludes, arrimos. Instalações hidráulico/sanitárias e instalações elétricas de alta e baixa tensão, Instalações para gás, baritagens. Acabamento fino – alto padrão; Habilidade em: Implantar e gerenciar empreendimentos e investimentos; analisar projetos; ações e formas de trabalho em equipe, administrar conflitos e buscar resultados; Experiência em suprimentos técnicos e contratos em geral e área administrativa interna da empresa construtora. Perfil de liderança e trabalho em equipe.

  • Eng° Giulio M. F. Rolfo

    Engenheiro Civil graduado pela Escola de EngenhariaMauá em 1.982. Especialista em "Rebaixamento de Lençol Freático ministrado na Escola deEngenharia Mauá pelo Prof. Carmo T. Yassuda, em 1.982. Administrador na modalidade de "Administração Industrial" ministrado no Instituto Mauá de Tecnologia - CECEA de Setembro de 1.984 à Junho de 1.985. Consultor técnico para implantação do Programa de Incentivo à Inovação Tecnológica junto à Odebrecht e Andrade Gutierrez pela PIERACCIANI; Conhecimento * Transformação * Resultados; Responsável pela Implantação de processo de coleta seletiva de lixo em alguns residenciais de Alphaville, em colaboração com a Secretaria de Ação Social da Prefeitura Municipal de Santana de Parnaíba (Projeto Saco Verde). 3o Lugar em menção honrosa do 1o Benchmarking Ambiental Brasileiro 2.003. Assessor do diretor do departamento de Edificações (EDIF / SSO - Secretaria de Serviços e Obras) nas áreas de planejamento, controles e coordenações das edificações da Prefeitura Municipal de São Paulo. Assessor do Secretário de Obras (SSO), Engo João Octaviano Machado Neto, na Prefeitura Municipal de SãoPaulo para assuntos de edificações em 2.000. Diretor de Obras e Transportes da Prefeitura Municipal de Pirapora do Bom Jesus (Set/91 a Dez/92) e assessor do Prefeito do município dePirapora do Bom Jesus para projetos de engenharia. Entre 2.004 e 2.007 atuou em obras em Angola / África. Sócio da LEVEL X - Consultoria de Engenharia Civil Ltda. no Acompanhamento técnico e gerenciamento de obras particulares. Obras industriais e residenciais.

Horários

Início: 08h30
Coffee break: 10h30 às 10h45
Almoço: 12h30 às 14h00
Coffee break: 16h30 às 16h45
Encerramento: 18h00
Obs.: Cada hora/aula tem 50 minutos de duração.

O que está incluso

  • Apostila Digital em PDF (disponibilizada por e-mail aos participantes em até 24 horas da data de início do curso, como anexo ou via link em nuvem)
  • Material de Apoio;
  • Serviço de Coffee-breaks;
  • Certificado de Participação digital (atentar a correta grafia do seu nome na lista presença que circulará no primeiro dia de curso)

Observações

  • Recomendamos levar Notebook ou Tablet/IPAD, com adaptador para a nova tomada “PADRÃO BRASILEIRO”;
  • Na hipótese de quórum insuficiente, impossibilidade de comparecimento do professor, imprevistos ou motivos de força maior, a AEA Educação Continuada se reserva ao direito de cancelar ou reagendar o curso programado visando preservar o melhor interesse de todos;
  • Especialmente, em caso de viagens, antes de se deslocar, solicitamos entrar em contato, a fim de confirmar as informações sobre data e local do curso, evitando transtornos;
  • Em caso de cancelamento, a AEA Educação Continuada avisará a todos os inscritos (através de e-mail), e devolverá integralmente os valores pagos pela inscrição;
  • O inscrito poderá solicitar o cancelamento da sua inscrição, via e-mail, até 10 (dez) dias antes do início do curso. Neste caso, os valores pagos serão devolvidos.
Em todos os casos, recomendamos a leitura atenta, e integral, do Contrato de Adesão aceito no ato da efetivação da inscrição online.
 

Formas de Pagamento