O que você vai aprender

Conhecimentos e metodologias relacionados aos projetos para urbanização de favelas no Brasil acerca das prioridades e modalidades nas intervenções.

Como irá se beneficiar

Capacitar os alunos na identificação das tipologias de assentamentos precários e de projetos urbanos integrados para dotação de infraestrutura de saneamento ambiental e sua complexidade nestas localidades.

Público alvo

O curso é indicado diretamente aos alunos do curso de graduação em arquitetura e urbanismo, mas pode interessar aqueles que cursam economia, engenharia e gestão ambiental. Os agentes públicos e profissionais que atuem nas áreas de habitação e serviços e projetos urbanos, bem como com políticas públicas para assentamentos precários também podem se beneficiar do conteúdo oferecido pelo curso.

Duração

20 horas

  • Direito à cidade;
  • Assentamentos precários no Brasil;
  • Política habitacional no Brasil;
  • Programas de urbanização de favelas;
  • Estatuto da Cidade;
  • ZEIS;
  • Regularização físico fundiária, e
  • Panorama Mundial acerca dos assentamentos precários suas modalidades e intervenções ao redor do mundo.
  • Segundo Censo (IBGE,2010) aproximadamente 11 Milhões de habitantes vivem em aglomerados subnormais no Brasil, portanto moradia de 6% da população brasileira em 2010;
  • Entender a dimensão da problemática destes territórios é um passo para a apreensão da importância da urbanização como meio da integração e consequentemente reconhecimento como alternativa de moradia da população pobre e como parte da cidade formal;
  • Entende-se que a urbanização de assentamentos precários pode ser uma alternativa para a diminuição do déficit habitacional;
  • • O déficit habitacional segundo a Fundação João Pinheiro (FJP,2018) em 2015 era de aproximadamente 6,3 Milhões de unidades, sendo imenso desafio professional buscar soluções para esta problemática;
  • As intervenções em assentamentos precários em sua complexidade são excelente campo de conhecimento em diferentes escalas do urbanismo e da infraestrutura urbana;
  • Estes territórios serão campo e Mercado rico de trabalhos para os novos arquitetos;
  • Aprender a qualificar um território ocupado precariamente é uma possibilidade de atuação frente a melhoria da paisagem e da vida nas cidades, e
  • Os assentamentos precários não são enclaves em separado, segundo Valladares (2055) a população que ali vive é economicamente inserida.
  • Arq. Dra. Viviane Manzione Rubio
    Mestre (2011) e Doutora (2017) pelo Programa de Pós-graduação pela Faculdade de Arquitetura e Urbanismo da Universidade Presbiteriana Mackenzie (UPM), onde é pesquisadora e docente do curso de graduação. Contribui para o Grupo de Estudos Sócio Territoriais e Urbanos e de Acção Local (GESTUAL) do Centro de Investigação em Arquitetura, Urbanismo e Design da Faculdade de Arquitetura da Universidade de Lisboa (CIAUD/FAUL), onde realizou período de estudos em Lisboa (2016). Participou dos cursos do Lincoln Institute of Land Policy, Desarrollo Profesional sobre Mercados de Suelo Informales e Regularizacion de Asientamientos, Managua, Nicarágua (2012) e de Actualización de Docentes sobre Fundamentos Económicos de las Políticas de Suelo en América latina, San Jose, Costa Rica, (2018). Coordenadora da Equipe de Projetos de urbanização de favelas na Secretaria Municipal de Habitação e Desenvolvimento Urbano de Osasco, SP (2006-2017).

Horários
Início: 08h00
Coffee break: 10h30 às 10h45
Almoço: 12h30 às 14h00
Coffee break: 16h30 às 16h45
Encerramento: 18h00

O que está incluso
Apostila Digital em PDF (disponibilizada por e-mail aos participantes em até 24 horas da data de início do curso)
Material de Apoio;
Serviço de Coffee-breaks;
Certificado de Participação digital (atentar a correta grafia do seu nome na lista presença que circulará no primeiro dia de curso)

Observações
Levar Notebook ou Tablet/IPAD, com adaptador para a nova tomada “PADRÃO BRASILEIRO”;

Na hipótese de quórum insuficiente, impossibilidade de comparecimento do professor, imprevistos ou motivos de força maior, a AEA Educação Continuada se reserva ao direito de cancelar ou reagendar o curso programado visando preservar o melhor interesse de todos;
Especialmente, em caso de viagens, antes de se deslocar, solicitamos entrar em contato, a fim de confirmar as informações sobre data e local do curso, evitando transtornos;
Em caso de cancelamento, a AEA Educação Continuada avisará a todos os inscritos (através de e-mail), e devolverá integralmente os valores pagos pela inscrição;
O inscrito poderá solicitar o cancelamento da sua inscrição, via e-mail, até 10 (dez) dias antes do início do curso. Neste caso, os valores pagos serão devolvidos.
Em todos os casos, recomendamos a leitura atenta, e integral, do Contrato de Adesão aceito no ato da efetivação da inscrição online.